Resenha: Espada de Vidro

By Jessica Bottari - 13:13


Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 485
Ano: 2016
Classificação: ✰✰✰

Vou começar essa resenha avisando que contém spoiler de A Rainha Vermelha. A continuação da leitura sem ter lido o livro anterior poderá estragar a sua experiência com o livro.

Falar sobre Espada de Vidro é uma tarefa complicada porque é um livro que eu amei e odiei ao mesmo tempo.

O livro continua do mesmo ponto que termina o  primeiro. Mare e Cal conseguem escapar e buscam refugio com a Guarda Escarlate, mas eles não podem ficar por muito tempo. Eles precisam encontrar os sanguenovos - pessoas que possuem sangue vermelho, porém, com poderes - que Julian colocou em uma lista para, só então, terem uma chance contra Maven e a Rainha Elara.

Só pela sinopse, eu já imaginava que o livro seria mais parado, afinal, eles teriam que buscar todas as pessoas que se encontravam na lista. Porém, quando li os primeiros capítulos em "Coroa Cruel", me surpreendi porque não parecia nada disso. A história estava empolgante e sofri muito porque eu ainda não tinha o livro para continuar a leitura e só aqueles capítulos não eram o suficiente. Minha expectativa subiu e foi aí que o primeiro problema apareceu - porque quando ela sobe, a chance de se decepcionar acompanha.
"Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar "
Eu sempre tive um pouco de implicância com os personagens principais, mas a Mare se superou. Ela ficou insuportável! Era de se esperar que ela saísse de Rainha Vermelha com traumas e desconfiada, mas não do jeito que estava. Ela se torna uma máquina de caçar sanguenovos e não mede esforços para isso. Tudo o que passa pela sua cabeça é se vingar de Maven e Elara e suas atitudes a afasta dos amigos e família. Ela perdeu o ar "heroína" e começou a não se importar com quem morria desde que ela alcançasse seu objetivos. Isso é uma coisa interessante, mas não da forma que a autora escreveu. Ela se torna arrogante e age como se só ela fosse importante para a causa.

Cal também mudou com a traição de Maven e com o que a Elara o obrigou a fazer no último livro, mas ele consegue manter a cabeça no lugar. Sua imagem de príncipe continua lá junto com toda a arrogância que parece vir com a cor do sangue. Mas, ao contrário da Mare, ele não age como se fosse o único que importa. Na verdade, é ele quem a "controla" muitas vezes.

A pior parte do livro é a busca pelos sanguenovos. Essa parte do livro é muito arrastada. A autora até tentou dar uma movimentada com os imprevistos. Colocou algumas batalhas, mas não foi nada que me fizesse pensar "Uau, que cena incrível!". Os novos poderes são muito interessantes e, alguns, até inéditos, mas nenhum personagem me conquistou a ponto de entrar na listinha de favoritos.

Agora, o final vale todo o livro. Maven volta a ter uma importância maior, pois ele fica fora de cena a maior parte do livro, e apesar do que alguns falam, ele é incrível sim! É um vilão muito bem construído que merece meu tempo porque ele é uma das melhores partes da história.

Enfim, Espada de Vidro é um livro razoável. Ele não é de todo ruim, é bom, mas não tem nada demais. O início e o final são a melhor parte, mas o meio é bem cansativo e parece que demora séculos para passar.

Por isso, me digam. Vocês se interessaram pelo livro? Pretendem encarar esse desafio? Me contem nos comentários.

  • Share:

Você também poderá gostar

0 comentários