22.1.16

Resenha: A Rainha Vermelha



Autor(a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 414
Ano: 2015
Classificação: ✰✰✰✰

Mare Barrow vive em um mundo distópico dividido pela cor do sangue. Os que possuem sangue vermelho estão acostumados a trabalhar para sustentar a elite e a guerra que ela mantém contra os reinos vizinhos. Os que possuem sangue prateado possuem poderes e isso garante a posição na elite do país.

Mare tem sangue vermelho e vive em uma área muito pobre chamada Palafitas. Como ela rouba para ajudar a família, e isso não é considerado uma profissão, quando ela completar 18 anos será enviada para o exército e logo morrerá.

Em uma noite de roubo, Mare encontra um misterioso rapaz que lhe consegue um emprego como criada no palácio de verão do rei. Logo no primeiro dia de trabalho, Mare sofre um acidente e é salva por poderes que ela nunca imaginou ter. Como esses poderes vem à tona na frente de muitos, o rei a obriga a se passar por uma herdeira perdida de um antigo general e ela é obrigada a viver com quem ela sempre odiou.

"Todo mundo pode trair todo mundo"

No meio de tudo isso, se desenrola a história criada por Victoria Aveyard. O início do livro é bem lento e possui muitos nomes, pois dependendo do poder a pessoa é nomeada de uma forma, e isso atrasou muito a minha leitura. Porém, não me arrependi de ter continuado o livro. Ele trouxe um final surpreendente que me deixou boquiaberta!

Além disso, o livro também é parecido com algumas séries conhecidas como Jogos Vorazes e A Seleção, então se algum desses livros está entre seus queridinhos, a chance de gostar dele é ainda maior!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link do seu blog - créditos

Tema Base por Butlariz